Notícias

Aprender não tem idade

A população Sénior demonstrou no dia 20 de maio que, quando existe vontade para aprender, não existe idade. Prova disso é Teresa Ferreira, há dois anos na Universidade Sénior de Santo António de Lisboa, sempre quis aprender piano, já que na infância não teve essa oportunidade.

“Resolvi agora por mim própria ir por esse caminho, porque adoro piano e resolvi aprender. Temos um professor fantástico que tem paciência para a minha falta de experiência”.

E foi esse trabalho realizado pelo Professor Maestro Carlos Cordeiro nas disciplinas de Flauta Transversal e Piano que, a Igreja Paroquial de São Mamede, acolheu o recital dos alunos da Universidade Sénior de Santo António de Lisboa. Apoiado pela Freguesia de Santo António.

Uma forma de conhecer a oferta curricular desta universidade que pretende que os seniores partilhem saberes, experiências de vida e criem laços. Laços esses valorizados por Ana Dyson que, aos 73 anos, continua a apostar na sua formação musical. “Oiço muita música, dá-me muito prazer. Obriga-nos a utilizar a concentração, a coordenação e a memória”, afirma a minutos da estreia de tocar piano, em público.

No recital foi possível ouvir obras de Charpentier, Thompson’s, Schubert, Czerny, Bach, Van Gael, Debussy, Chopin, Puccini, Beethoven, Galos e Ravel.

Vasco Morgado, Presidente da Freguesia de Santo António, Tânia Dias, Vogal do Executivo, Sara Amâncio, Presidente da Assembleia de Freguesia e o Padre Ismael Teixeira, Pároco da Igreja de São Mamede, marcaram presença.

Vasco Morgado à chegada do recital.
Recital na Igreja Paroquial S. Mamede.
Marianne Fornelos na flauta transversal e Leandro Cardona na Harpa.