Notícias

“Perspectivas de estacionamento são impossíveis”

As recorrentes reclamações por parte dos Fregueses, no que diz respeito à falta de lugares de estacionamento e soluções viáveis, levou a que o presidente da Freguesia de Santo António endereçasse uma carta ao Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

No documento, Vasco Morgado, reforça a preocupação geral de quem escolheu ou se mantém no centro histórico da cidade para morar, “o estacionamento na cidade de Lisboa (…) é profundamente deficitário”, sendo que, cada vez mais, “os principais prejudicados são os moradores”.

Ao longo do documento, o autarca identifica algumas das questões que contribuem para este estado deficitário:

– atribuição de estacionamento reservado a entidades públicas e alojamentos locais;
– rede de transportes públicos não adequada às necessidades da cidade;
– número de dísticos emitidos superiores ao número de lugares disponíveis;
– falta de fiscalização.

Como solução, Vasco Morgado, aponta “a única solução que pode minorar esta situação de imediato – transformar toda a Freguesia em zona de estacionamento exclusivo para moradores, entre as 19h00 e as 8h00 de dias úteis e durante todo o fim-de-semana”.

Ainda assim, o presidente da Freguesia de Santo António acredita que “não é, por si só, suficiente para resolver o problema”. Havendo necessidade de fiscalização, considerando “imoral, continuar a ter inúmeras brigadas de fiscalização durante o dia, em que o estacionamento é pago, e ignorar completamente o estacionamento para residentes, no período noturno”. Enquanto tal não for alterado, acredita “é inútil pensar em outras soluções”.

___

Leia a Carta na íntegra:

 

“Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Dr. Fernando Medina
Paços do Concelho, 1149-014 Lisboa
C/C
Exmo. Sr. Presidente do Conselho de Administração da EMEL
Exmo. Sr. Vereador Manuel Salgado
Exmo. Sr. Vereador Carlos Castro

Assunto: Estacionamento na Freguesia de Santo António

Lisboa, 27 de junho de 2017

Como é seguramente do conhecimento de V. Ex.ª, o estacionamento na cidade de Lisboa, em particular no seu centro histórico, é profundamente deficitário. Os principais prejudicados por esta carência são os moradores.
O número de dísticos emitidos para estas zonas é, infelizmente muito superior aos lugares disponíveis, situação que é agravada com a atribuição de estacionamento reservado a entidades públicas e, cada vez mais, para estabelecimentos de alojamento local que surgem no coração das zonas residenciais.
Ainda que se pretenda, e bem, implementar uma política de desincentivo do uso de transporte particular, tal pressuporia uma rede de transportes públicos adequada às necessidades da cidade, o que não sucede, verificando-se uma degradação cada vez maior do serviço prestado, em particular pelo Metropolitano de Lisboa.
O que se verifica atualmente, é que os moradores não têm simplesmente condições para estacionar nas zonas que lhes são atribuídas e encontram os poucos lugares existentes ocupados, por exemplo por visitantes que aqui estacionam para se deslocarem para estabelecimentos de diversão noturna.
As perspetivas de estacionamento de quem mora no centro da cidade são impossíveis.
Assim, porque o dever primeiro de um Presidente de Junta de Freguesia é a defesa dos direitos e interesses dos seus Fregueses, dirijo-me a V. Ex.ª pedindo que se digne adotar a única solução que pode minorar esta situação no imediato – transformar toda a Freguesia de Santo António em zona de estacionamento exclusivo para moradores, entre as 19:00 e as 9:00 de dias úteis e durante todo o fim-de-semana. Esta proposta, tem a virtude de manter a oferta de estacionamento pago e livre durante o período diurno, enquanto salvaguarda os moradores no período noturno.
Entendemos o caráter estruturante da Av. da Liberdade para o planeamento e gestão da cidade, pelo que aceitamos que esta artéria seja excluída desta alteração.
No entanto esta alteração ao estacionamento na Freguesia de Santo António não é, por si só, suficiente para resolver o problema. Com efeito, já existem no nosso território algumas zonas de estacionamento exclusivo para moradores. Simplesmente não são objeto de qualquer fiscalização noturna. Esta realidade, para a qual V. Ex.ª já despertou ao anunciar fiscalização 24 horas por dia, tem de ser profundamente alterada. É imoral continuar a ter inúmeras brigadas de fiscalização durante o dia, em que o estacionamento é pago, e ignorar completamente o estacionamento para residentes, no período noturno. Sem alterar, de facto, esta realidade de ausência de fiscalização, é inútil pensar em outras soluções.

Seguro de que a questão merecerá de V. Ex.ª a melhor atenção, subscrevo-me com os melhores cumprimentos,

O Presidente

Vasco Morgado”

 

Consulte aqui a Carta na íntegra (PDF).