+351 218 855 230     info@jfsantoantonio.pt
Lisboa:

Notícias

Já é conhecido o plano de vacinação contra a COVID-19, que foi apresentado esta quinta-feira, 3 de dezembro, em conferência de imprensa. 

A vacinação decorrerá em três fases e “será universal, gratuita, facultativa e disponibilizada a toda a população, de acordo com as características que sejam aprovadas”, tal como declarou Francisco Ramos, coordenador do grupo de trabalho para o plano de vacinação contra a COVID-19.

A primeira fase de vacinação abrange 950 mil pessoas e decorrerá, “num cenário otimista”, entre janeiro e março, de acordo com Francisco Ramos. Aqui estarão incluídas as pessoas de idade igual ou superior a 50 anos que sofram de pelo menos uma das seguintes patologias: insuficiência cardíaca, doença coronária; insuficiência renal; Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração. Nesta primeira fase estão ainda contemplados os residentes de lares e cuidados continuados, bem como os respetivos profissionais, e os profissionais de saúde e das forças de segurança.

Já numa segunda fase serão vacinadas as pessoas de idade igual ou superior a 65 anos, com ou sem patologias, bem como as pessoas entre os 50 e os 64 anos com pelo menos uma das seguintes patologias: diabetes; neoplasia maligna ativa; doença renal crónica; insuficiência hepática; obesidade; hipertensão arterial e outras patologias, a definir posteriormente. Este grupo contempla cerca de 1,8 milhões de pessoas, prevendo-se que a data de vacinação decorra entre março, ou abril, a junho, ou julho.

Por fim, a terceira fase abrange a restante população.

Quanto aos pontos de vacinação, na primeira fase estes terão lugar nos Centros de Saúde, lares e unidades de cuidados continuados, bem como nos serviços de saúde ocupacionais e entidades de serviços críticos.

De acordo com Francisco Ramos estão “garantidas 22 milhões de doses de vacinas”. De momento existem acordos com seis farmacêuticas, onde estão incluídas a Pfizer, a Moderna e a Astrazeneca.

Neste Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres relembramos o importante trabalho do Espaço Júlia, que intervém diretamente nas denúncias de violência doméstica.

Este espaço tem as portas abertas 365 dias por ano, 24 horas por dia, "para todas as vítimas de violência doméstica e violação, especialmente quando se tratam de vítimas particularmente vulneráveis devido à idade, condições de saúde e da violência de que foram alvo", como nos explica Inês Carrolo, responsável pelo Espaço Júlia.

Em articulação com a 1.ª Divisão Policial do Comando Metropolitano de Lisboa – Polícia de Segurança Pública, mas também com o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, os técnicos deste espaço têm formação específica para intervir diretamente nas denúncias de violência doméstica.

O Espaço Júlia é uma homenagem a Júlia, idosa que vivia na mesma rua deste equipamento e que a 25 de setembro de 2011, aos 77 anos, foi assassinada pelo marido num ato de violência doméstica. Estavam casados há mais de 30 anos.

Localização: Alameda Santo António dos Capuchos, 1169-050 Lisboa

Contatos: 210179284 | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Este sábado foram anunciadas novas medidas para o estado de emergência, que foi renovado por mais 15 dias.

Desta forma, serão impostas as seguintes medidas gerais: uso obrigatório de máscara nos locais de trabalho; proibição de deslocação entre concelhos desde as 23h00 de 27 de novembro até às 5h00 de 2 de dezembro; proibição de deslocação entre concelhos desde as 23h00 de 4 de dezembro e as 5h00 de 9 de dezembro; suspensão das atividade letivas a 30 de novembro e a 7 de dezembro e tolerância de ponto para funcionários públicos e apelo a entidades privadas para dispensa de trabalhadores a 30 de novembro e a 7 de dezembro.

Nos concelhos de risco muito elevado e extremamente elevado, nos quais se inclui o de Lisboa, acrescem as seguintes medidas: proibição de circulação na via pública e encerramento de estabelecimentos comerciais entre as 13h00 e as 5h00 nos sábados, domingos e feriados de 1 e 8 de dezembro, bem como o encerramento dos estabelecimentos comerciais a partir das 15h00 a 30 de novembro e 7 de Dezembro.

A Freguesia de Santo António aderiu à aplicação Descubra Portugal, uma plataforma que permite ao utilizador consultar os melhores locais para comer, dormir, comprar e visitar de uma determinada zona.

Ao descarregar esta aplicação, disponível para Android e iOS, selecione a opção Santo António para aceder à lista de todas as lojas, restaurantes, cafés, pastelarias e hotéis da Freguesia. Pode ainda consultar todos os museus e igrejas da zona, para além da agenda de eventos a decorrer na Freguesia.

Este Natal, utilize a aplicação para organizar a sua lista de compras no comércio local da Freguesia.  Seja vestuário, artesanato, livros ou até doces para a ceia de Natal, o comércio da Freguesia de Santo António oferece-lhe várias opções para esta quadra natalícia. Neste Natal, compre local, na Freguesia bem no coração de Lisboa.

 

O Conselho de Ministros determinou novas medidas de estado de emergência para os próximos dois fins de semana. Desta forma, o comércio abre a partir das 8h00 e encerra a partir das 13h00, exceto farmácias, clínicas e consultórios, estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua e até 200m2 e bombas de gasolina. Para além disso, os restaurantes só podem funcionar a partir das 13h para entregas ao domicílio.

Previous Next

Esta quarta-feira, 11 de novembro, a Biblioteca Arquiteto Cosmelli Sant'Anna (BACS) recebeu mais uma sessão de Ciência na BACS Júnior, onde os pequenos cientistas dos seis aos 12 anos puderam fazer atividades dentro do tema "Folha a folha se faz a árvore". A sessão teve duas vertentes: ao vivo, para quem se inscreveu e fez questão de aparecer presencialmente, com todas as medidas de segurança necessárias, e em streaming, no Facebook da Freguesia de Santo António, para aqueles que preferiram acompanhar a atividade a partir de casa.

As próximas atividades na BACS irão seguir este modelo, com a componente presencial e em formato streaming. A próxima será já esta quinta-feira, o Canto do Conto, para crianças a partir dos dois anos, às 18h00. Esperamos por si.

A recolha de lixo irá sofrer alterações na zona do Passadiço. A partir de 20 de novembro deixarão de se entregar sacos de plástico para o sistema de recolha porta a porta após as 18h00, por forma a diminuir o uso de plástico e o número de horas da permanência de lixo na via pública. Desta forma, a Câmara Municipal de Lisboa colocou suportes fixos de contentores (SFC), que se encontram espalhados em locais estratégicos da Freguesia, e que devem ser usados pelos fregueses que anteriormente tinham recolha de sacos porta a porta.
 
A medida para a utilização destes caixotes já se encontra em vigor, pelo que os colaboradores da Freguesia de Santo António têm feito ações de sensibilização em parceria com a CML para incentivar a população à utilização de contentores que possam ter à porta das suas casas, lembrando que quem não têm terá de passar a utilizar os suportes fixos de contentores presentes nos seguintes locais:
 
  • Rua Carrião n.º 1: Seis caixotes para lixo comum;
  • Rua Carrião n.º 31: Um caixote para lixo comum;
  • Rua Passadiço n.º 7: Um caixote para vidro (verde); Um caixote para plástico (amarelo) e um caixote para papel (azul);
  • Rua Passadiço n.º 27 e n.º 29: Cinco caixotes para lixo comum; Um caixote para vidro (verde); Dois caixotes para plástico (amarelos) e dois caixotes para papel (azuis);
  • Rua Esperança do Cardal n.º 2: Três caixotes para lixo comum; Um caixote para vidro (verde); Um caixote para plástico (amarelo) e um caixote para papel (azul);
  • Rua Esperança do Cardal nº 48: Três caixotes para lixo comum; Um caixote para plástico (amarelo) e um caixote para papel (azul);
  • Rua Caridade n.º 33: Cinco caixotes para lixo comum;
  • Rua Metade n.º 31: Dois caixotes para lixo comum;
  • Travessa Larga n.º 9: Quatro caixotes para lixo comum; Um caixote para vidro (verde); Um caixote para plástico (amarelo) e dois caixotes para papel (azuis);
  • Travessa do Loureiro n.º 4: Quatro caixotes para lixo comum; Um caixote para vidro (verde); Um caixote para plástico (amarelo) e um caixote para papel (azul);
  • Travessa das Parreiras n.º 24: Cinco caixotes para lixo comum e um caixote para vidro (verde);
  • Travessa das Parreiras n.º 78: Quatro caixotes para lixo comum;
  • Travessa Santa Marta n.º 11: Seis caixotes para lixo comum; Um caixote para vidro (verde); Três caixotes para plástico (amarelos) e três caixotes para papel (azuis);
  • Beco Santa Marta: Seis caixotes para lixo comum;
  • Rua Cardal de São José n.º 73: Três caixotes para lixo comum;
  • Rua Cardal de São José n.º 25: Dois caixotes para lixo comum;
  • Rua Fé n.º 10: Seis caixotes para lixo comum; Dois caixotes para plástico (amarelos) e dois caixotes para papel (azuis);
  • Rua Santo António dos Capuchos n.º 51: Seis caixotes para lixo comum; Dois caixotes para plástico (amarelos) e dois caixotes para papel (azuis).
 
Descarregue aqui o mapa da localização dos contentores
Previous Next

Esta quarta-feira, 11 de novembro, o Centro Social Laura Alves distribuiu castanhas assadas pelos fregueses que usufruem da alimentação diária do Centro. A entrega foi feita juntamente com a refeição do dia, numa iniciativa que abarcou cerca de 80 fregueses.

"Quisemos levar um pouco do dia de São Martinho à casa dos fregueses, para que também evitem sair à rua numa altura em que os casos de COVID-19 têm vindo a aumentar – até porque estamos a falar de pessoas idosas, com cerca de 80 anos", explica Manuela Matos, responsável pelo Centro Social Laura Alves.

As castanhas foram adquiridas a uma vendedora de rua da Freguesia, por forma a incentivar o comércio local.

Esta terça-feira o presidente da Freguesia de Santo António, Vasco Morgado, esteve presente na receção da delegação da Embaixada da Federação da Rússia em Portugal nas instalações do Observatório do Mundo Islâmico, que se encontra sediado na Freguesia.

A visita resultou de um convite feito pelo próprio Observatório, que tem reunido esforços para "contar com a participação de embaixadas dentro do [seu] projecto de estudos", como nos explica José Esteves Pereira, diretor do Observatório do Mundo Islâmico.

"O nosso objetivo é essencialmente desenvolver o conhecimento do mundo islâmico e, para nós, é obviamente muito importante o apoio da Junta de Freguesia de Santo António", afirma o diretor.

Dando sequência ao Estado de Emergência decretado no dia 6 de novembro de 2020 pelo presidente da República, que entra em vigor às 00h00 do dia 9 de novembro, o Conselho de Ministros determinou a proibição de circulação na via pública entre as 23h00 e as 05h00 em dias de semana e nos próximos dois fins-de-semana, a partir das 13h00. Esta medida aplica-se exclusivamente aos 121 concelhos com risco elevado de transmissão da Covid-19 e prevê algumas exceções, tais como deslocações a trabalho, regresso ao domicilio, situações de emergência ou o passeio de animais de estimação, entre outras.
 
Foi ainda decretada a possibilidade de realizar medições de temperatura corporal por meios não invasivos, no acesso a: locais de trabalho; estabelecimentos de ensino; meios de transporte e espaços comerciais, culturais e desportivos. No caso da recusa de medição de temperatura corporal ou nos casos em que a temperatura corporal for igual ou superior a 38.º C pode determinar-se o impedimento no acesso aos locais mencionados, sendo que esta medição não prejudica o direito à proteção individual de dados.
 
É ainda referida a possibilidade de exigir testes de diagnóstico para a COVID-19 nas seguintes situações: em estabelecimentos de saúde; em estruturas residenciais; em estabelecimentos de ensino; à entrada e à saída de território nacional, por via aérea ou marítima; em Estabelecimentos Prisionais; e outros locais, por determinação da DGS. De notar também a possibilidade de requisitar recursos, meios e estabelecimentos de saúde dos setores privado e social, após tentativa de acordo e mediante justa compensação, bem como a mobilização de recursos humanos para reforço da capacidade de rastreamento (ex: realização de inquéritos epidemiológicos, rastreio de contactos, seguimento de pessoas sob vigilância ativa), nomeadamente: trabalhadores em isolamento profilático; trabalhadores de grupos de risco; professores sem componente letiva e militares das Forças Armadas.

Na resolução do Conselho de Ministros desta segunda-feira foi renovada a situação de calamidade em todo o território nacional continental, que será mantida até às 23h59 de 19 de novembro.

Desta forma, na Resolução do Conselho de Ministros n.º 92-A/2020 pode ler-se que "pela presente resolução, estabelece-se a reposição do dever cívico de recolhimento domiciliário, determinando-se que os cidadãos se devem abster de circular em espaços e vias públicas, bem como em espaços e vias privadas equiparadas a vias públicas, exceto para o conjunto de deslocações autorizadas". É ainda referida "a obrigatoriedade de adoção do regime de teletrabalho, sempre que as funções em causa o permitam, nos termos da lei", para além de se mencionar que "os estabelecimentos de comércio a retalho e de prestação de serviços, assim como os que se encontrem em conjuntos comerciais, encerram às 22h00, e os estabelecimentos de restauração não podem ter mesas com mais de seis pessoas, encerrando às 22h30".

Consulte todas as alíneas referentes a teletrabalho, regras de ocupação, permanência e distanciamento, horários de funcionamento e confinamento obrigatório através no link.

 

A Junta de Freguesia de Santo António associa-se ao Luto Nacional decretado pelo Governo esta segunda-feira, 2 de novembro, sob a forma de "homenagem a todos os falecidos, em especial às vítimas da pandemia de COVID-19".

Expressamos as mais sentidas condolências a todas as famílias enlutadas.

Previous Next

No passado domingo, 25 de outubro, o presidente da Junta de Freguesia de Santo António, Vasco Morgado, esteve presente na inauguração da instalação “Beyond the Trees”, de Tulio Dek, que estará patente no Jardim do Torel até 25 de novembro.

A instalação invadiu por completo este espaço, enchendo o jardim de troncos decepados – puxando a atenção para a desflorestação – e tingindo de negro o tão conhecido lago do Torel, aludindo aos desastres petrolíferos mas também à poluição atual de máscaras descartáveis. O objetivo do artista desta instalação, Tulio Dek, é o de alertar os visitantes para a destruição massiva do planeta e a necessidade de inverter esse paradigma. Por essa razão, um terceiro elemento, uma pequena casa de madeira, convida os visitantes a levarem consigo sementes de várias espécies autóctones portuguesas para plantar, cumprindo assim o ciclo da instalação.

“Quando nos mostraram o projeto achámos que fazia todo o sentido ter esta instalação na Freguesia, até porque estávamos a tomar vários passos no sentido de utilizar melhor o que temos à nossa disposição. Com a pandemia, e com o uso necessário do descartável, houve um retrocesso, por isso fomos em contra-ciclo, dando o alerta às pessoas para que tenham cuidado relativamente às suas ações ambientais”, afirma Vasco Morgado.

Esta instalação comporta ainda uma componente científica - através de QR Codes espalhados pelo Jardim do Torel, o visitante pode aceder a vídeos onde se explicam os processos de purificação da água através do solo, a degradação dos mesmos e ainda a importância de valorizar o pinheiro e a resina.

Esta instalação, que conta com a curadoria de Rui Afonso Santos, curador do Museu Nacional de Arte Contemporânea e historiador de arte, é produzida pela Square One – Contemporary Art Agency. Tem ainda o apoio da Freguesia de Santo António, da Fundação para a Ciência e Tecnologia, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, do Museu da Água, da LX Store, da Universidade de Lisboa, da Centre for Ecology, Evolution and Enviromental Changes, da TNT Arte e da Comissão Europeia.

A Assembleia da República decretou hoje a obrigatoriedade do "uso de máscara por pessoas com idade a partir dos 10 anos para o acesso, circulação ou permanência nos espaços e vias públicas sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável."

Esta obrigação é dispensada mediante a apresentação:
• De atestado médico de incapacidade multiúsos ou de declaração médica, no caso de se tratar de pessoas com deficiência cognitiva, do desenvolvimento e perturbações psíquicas;
• De declaração médica que ateste que a condição clínica da pessoa não se coaduna com o uso de máscaras;
• Quando o uso de máscara seja incompatível com a natureza das atividades que as pessoas se encontrem a realizar;
• Em relação a pessoas que integrem o mesmo agregado familiar, quando não se encontrem na proximidade de terceiros.

Atente que a presente lei aplica-se em todo o território nacional e que o incumprimento do uso de máscara constitui uma contraordenação, sancionada com coima de 100 a 500 euros. Esta lei vigora pelo período de 70 dias a contar da data da sua entrada em vigor, e é avaliada, quanto à necessidade da sua renovação, no final desse período.

Para mais informações, consulte a Lei n.º 62-A/2020 publicada hoje em Diário da República, bem como o Decreto-Lei n.º 28-B/2020, que estabelece o regime contraordenacional, no âmbito da situação de calamidade, contingência e alerta.

A partir de 25 de outubro, e até 25 de novembro, o Jardim do Torel, na Freguesia de Santo António, servirá de palco para a instalação Beyond the Trees, que alertará os visitantes para a destruição massiva do planeta e a necessidade de inverter esse paradigma.

Esta instalação site especific será composta por três elementos principais: uma série de cepos decepados remetem para a desflorestação do planeta; o lago do Torel, coberto por uma substância negra, evoca os desastres petrolíferos e o perigo dos combustíveis fósseis; e, por fim, uma estrutura de madeira em forma de casa alude à necessidade de abrigo, onde o visitante pode entrar e levar consigo um saco de sementes, que ao ser plantado cumpre o ciclo da exposição. Em pano de fundo, a frase “I Can’t Stop These Tears From Falling” completa o cenário junto ao lago do Torel.

“Ter esta instalação num dos jardins da nossa Freguesia permite que o público tenha consciência da nossa pegada ecológica e da importância da sustentabilidade ambiental, um assunto cada vez mais relevante atualmente”, afirma Vasco Morgado, presidente da Junta de Freguesia de Santo António.

Tulio Dek, o artista visual responsável pela exposição, quer desta forma convidar o público, sobretudo os mais jovens, a percorrer este espaço intervencionado e a tomar consciência da responsabilidade quanto à preservação dos recursos naturais e da nossa espécie.

Com um percurso que começou na música, Tulio Dek passou a dedicar-se às artes visuais, tendo estudado escultura em Florença, Itália. Depois de várias exposições no Brasil, e até uma residência artística em Marvila, Lisboa, o artista escolheu este jardim na Freguesia de Santo António para albergar a sua instalação mais recente.

Esta instalação, que conta com a curadoria de Rui Afonso Santos, curador do Museu Nacional de Arte Contemporânea e historiador de arte, é produzida pela Square One – Contemporary Art Agency. Tem ainda o apoio da Freguesia de Santo António, da Fundação para a Ciência e Tecnologia, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, do Museu da Água, da LX Store, da Universidade de Lisboa, da Centre for Ecology, Evolution and Enviromental Changes, da TNT Arte e da Comissão Europeia.

Esta segunda-feira demos início à distribuição pelo comércio de rua de cartazes de sensibilização para a utilização de máscara na rua, numa campanha em que contámos com o apoio dos nossos comerciantes.

Com o aumento de casos por COVID-19, e depois da decisão de conselho de Ministros sobre o uso de máscaras, aconselhamos todos os nossos fregueses a utilizarem máscara, mesmo na rua. Esta deve cobrir o rosto, desde o nariz até ao queixo. Caso utilize máscaras descartáveis, coloque-as no lixo, nunca no chão.

Circule pelas ruas da Freguesia em segurança. Por si e por todos.

Já estão abertas as inscrições para o Cabaz de Natal de 2020. Inscreva-se na Sede ou no Polo da Freguesia de 19 de outubro a 20 de novembro, apresentando os seguintes documentos:

  • Cartão do Cidadão ou Bilhete de Identidade;
  • Certidão de Eleitor;
  • IRS;
  • Comprovativos de despesas elegíveis (renda, educação, eletricidade, gás, água e saúde).
Descarregue aqui o formulário de inscrição.

O Conselho de Ministros aprovou hoje a resolução que declara a situação de calamidade em todo o território nacional, no âmbito da pandemia da doença Covid-19, até às 23h59 do dia 31 de outubro de 2020.

A resolução altera ainda algumas regras e medidas do estado de contingência:

  • Limitação de ajuntamentos a cinco pessoas na via pública e em outros espaços de natureza comercial e de restauração, exceto se forem coabitantes;
  • Limitação ao número de pessoas em eventos de natureza familiar (máximo de 50 pessoas);
  • Recomendar o uso de máscara comunitária na via pública, sempre que não for possível manter o distanciamento social necessário, bem como a utilização da aplicação Stayaway Covid e a comunicação de teste positivo através desta;
  • Determinar às forças e serviços de segurança e ASAE ações de fiscalização do cumprimento das normas;
  • Proibir iniciativas e atividades de natureza não letiva no espaço académico, como festas, receções aos novos estudantes e praxes;
  • Nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto aplica-se o regime excecional e transitório de reorganização do trabalho às empresas com locais de trabalho com 50 ou mais trabalhadores;
  • Clarificam-se algumas regras sobre o horário das áreas de serviço e dos postos de abastecimento de combustíveis.
Previous Next

À semelhança de anos anteriores, a Freguesia de Santo António já abriu as inscrições para as atividades lúdico-desportivas deste ano, que incluem aulas de Guitarra Elétrica e Viola, Ballet, Boxe e Esgrima.

As aulas de Guitarra Elétrica são dirigidas a jovens dos dez aos 18 anos e as de Viola a crianças dos sete aos dez anos. Estas decorrerão todas as terças e quintas feiras em horários distintos: as de Viola das 17h45 às 18h30 e as de Guitarra Elétrica das 18h30 às 19h45.

Já as aulas de Ballet decorrerão todas as segundas e quartas-feiras, existindo dois módulos consoante as idades dos inscritos: Ballet I, dos três aos seis anos, com aulas a decorrer das 17h45 às 18h30 e Ballet II, dos sete aos 11 anos, com aulas das 18h30 às 19h15.

A modalidade de Boxe, dirigido a adultos e jovens a partir dos 15 anos também terá aulas duas vezes por semana, sendo possível escolher dois horários: segundas e quartas-feiras, das 20h15 às 21h15 ou terças e quintas-feiras, das 19h15 às 20h15.

Por fim, as aulas de Esgrima aceitam adultos e jovens a partir dos 11 anos, com aulas às segundas, quartas e sextas-feiras, das 19h15 às 20h15.

Caso esteja interessado deverá inscrever-se na Sede (Calçada Moinho de Vento, 3) ou no Polo (Rua Alexandre Herculano, 46 - R/C ESQ.) da Freguesia de Santo António. Para mais informações envie email para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

 

 

 

 

 

Previous Next

Este sábado, 10 de outubro, o Jardim Marcelino Mesquita, na Praça das Amoreiras, transformou-se no Jardim das Artes. Entre pintura, aguarela, gravura, desenho e até escultura, foram várias as formas de arte expostas para venda, havendo ainda espaço para atuações musicais ao longo da tarde.

A 5ª edição desta iniciativa, organizada pela Boa Vizinhança, teve 43 expositores portugueses e estrangeiros, um valor inferior ao de outros anos por causa das medidas necessárias de prevenção à COVID-19.

“Tomámos todas as medidas pedidas pela Freguesia de Santo António, com a delimitação de entradas e saídas e estabelecimento de percursos, para evitar aglomerações”, explica Teresa Vilaça, organizadora do evento e membro da direção da Boa Vizinhança.

Nas novidades deste ano houve uma instalação produzida pela Pousio, “um grupo de jovens que fazem residências artísticas pelo país onde ajudam os locais, retirando daí inspiração para as suas peças”, como nos explica Luísa Leite, organizadora do evento. Também um grupo de urban sketcher apareceram para retratar a vivência deste Jardim das Artes, que ganhou outros sons com as atuações da Banda Juvenil Guilherme Consul – neste caso apenas com os professores –, uma harpista e dois jovens argentinos que cantaram vários excertos de ópera.

Sobre a iniciativa, Teresa Vilaça explicou-nos que a iniciativa bebeu inspiração na “mítica Montmatre, em Paris, onde os artistas pintam e vendem as suas obras”.  

MAGAZINE SANTO ANTÓNIO

APP DE SANTO ANTÓNIO

A aplicação para dispositivos móveis da Freguesia de Santo António permite que aceda, de forma simples e gratuita,  à informação, agenda, noticias e serviços da sua freguesia e reportar "problemas na minha rua" que eventualmente surjam. Basta que se registe na nossa plataforma.

 

Para mais informações comunicacao@jfsantoantonio.pt

Descarregue aqui a APP

Disponível em iOS e Android

Search