Há quem diga que são pais a dobrar. Servem para mimar com doces e carinhos. Ganham outra vida quando participam nas brincadeiras (quando a saúde o permite). No geral estas são algumas das características que ajudam a descrever os avós. E a 26 de julho foi o dia de celebrar e agradecer com um evento comunitário no Jardim do Torel, organizado pela Fábrica de Cidadãos. Apoiado pela Freguesia de Santo António. De um lado a Polícia de Segurança Pública (PSP) alertava para os perigos de burla e como agir em cada caso. Como apresentou a pulseira Estou Aqui Adulto, “dirigida a pessoas que, em função da idade ou de patologia, possam ficar desorientadas ou inconscientes, ainda que momentaneamente, na via pública”. Uma pulseira gratuita, pessoal e intransmissível que pode fazer toda a diferença quando uma pessoa se perde.

Do outro lado do jardim a Associação Detectora dos Diabetes de Portugal pesava e media a cintura dos presentes que se inscreveram para responder à ficha de avaliação de risco de diabetes tipo 2.

Enquanto esperava pela sua vez, falámos com Adelaide Sequeira, de 86 anos. “Eu vivo com um neto, a mulher, a filha … e é muito bom viver com eles porque me dão muita vida e muita alegria. Os meus netos ensinam-me muita coisa”. Já para Celeste Caeiro, com uma neta de 19 anos, explicou-nos o que é ser avó. “É muito fixe, é muito bom. A minha neta é o meu orgulho”, concluiu.

Entre várias ações de prevenção e lanche partilhado, Diogo Ferreira, responsável pela Fábrica de Cidadãos, entidade organizadora, explicou-nos a razão do evento. “Insere-se num projeto de intervenção comunitária da Fábrica de Cidadãos onde estava incluído uma série de ações para promover a coesão socio territorial da freguesia. E hoje por ser o dia Mundial dos Avós, decidimos ter um dia dedicado aos seniores”.

Destaque também para a presença da mercearia social VALOR Humano.

No final de tudo fica um agradecimento especial a todos os avós pela dedicação diária.