- “Olá, boa tarde. Somos funcionários da Freguesia. Podemos entrar em sua casa para o ajudar?” Este é apenas um exemplo de como podem começar as conversas para burlar uma pessoa. Para prevenir situações como esta, a Polícia de Segurança Pública (PSP) organizou, em 23 de julho de 2019, a ação de sensibilização “O Crime de Burla”.

“Estas campanhas são uma aposta da Polícia de Segurança Pública e os elementos que estão mais próximos e acompanham as pessoas têm verificado que é uma mais valia para o cidadão, sobretudo para pessoas que estão mais fragilizadas em função da idade. O feedback é muito positivo”. Quem o afirma é a Subcomissária da PSP, Dina Ribeiro, presente nesta ação que contou com casa cheia no Centro Social Laura Alves.

A tarde serviu para esclarecer a diferença entre burla, furto e roubo. Como para ouvir casos concretos e ajudar a encontrar soluções para situações como esta contada pelo Chefe Oliveira da Esquadra do Rato.

“Na Esquadra do Rato chega-nos muitas vezes queixas por causa dos contadores. Casos de pessoas que vão a casa de outras afirmar que o contador tem que ser trocado, acabando por pedir dinheiro para colocar um novo”. E para evitar que qualquer pessoa seja enganada por outra, aqui ficam alguns conselhos deixados pela Subcomissária da PSP.

“Ter cuidado a quem abrimos a porta. É também muito importante as pessoas conhecerem e relacionarem-se com a vizinhança, para isso devem sair de casa, mostrarem-se no dia a dia e manterem a ligação com os familiares. A partilha de informação é essencial, por exemplo, mesmo quando uma pessoa não consegue estar neste tipo de ações de sensibilização é importante que as pessoas partilhem a informação.
A boa vizinhança é fundamental bem como o policiamento de proximidade, criando uma ligação muito próxima com os nossos elementos”, concluiu.